domingo, 20 de maio de 2018

Benfica campeão nacional de juniores



Respeitou-se a democracia no campeonato nacional de juniores. Depois do FC Porto (15/16), Sporting (16/17), agora é o Benfica de João Tralhão a sagrar-se campeão nacional.

Este é um título muito importante para o Benfica que tem apostado bastante no centro do Seixal e cuja opção estratégica é a formação. Já muitos jogadores renderam dinheiro à SAD benfiquista e muitos talentos estiveram ontem em campo.
A grande figura desta equipa é João Félix, chamado várias vezes à equipa B.

domingo, 13 de maio de 2018

Benfica na Champions e Sporting vê navios

O Sporting partia na frente e dependia de si. Perdeu, na Madeira, onde também o FC Porto costuma ter muitas dificuldades.
Além do jogo perdeu o 2º lugar e sobretudo o acesso à pré eliminatória da Liga dos Campeões (e dos milhões). Além disso, ficou abaixo dos concorrente diretos.

Sobre o jogo de hoje, não vale a pena crucificar o guarda redes. O Sporting conquistou a Taça da Liga, chegou aos quartos de final da Liga Europa, protagonizou um filme entre presidente e jogadores lamentável e ficou atrás da concorrência [mais uma vez].
Teve no entanto o melhor jogador do campeonato: Bruno Fernandes.

O Benfica com muitas dificuldades defensivas e dependente de um artilheiro com mais de 30 anos perdeu o campeonato. Ficou em 2º e teve como prémio de consolação, o acesso à pré eliminatória da Liga dos Campeões. Rui Vitória fez o que pode com os recursos que lhe deram e registou-se uma performance terrível na Liga dos Campeões (6 derrotas/6 jogos).

O Estoril e Paços de Ferreira desceram de divisão. 
O Estoril, cujos dirigentes são desconhecidos (ninguém da SAD dá a cara), na época passada salvou-se na última jornada ao derrotar o Arouca. Nesta época, não melhorou. Tornou a mudar o plantel todo com muitos brasileiros e as lesões que não ajudaram. Agora, que desceu, continuarão os "investidores" a apostar?

O Paços de Ferreira, a par do Tondela, não tem mecenas nem SAD com investidores com mais olhos que barriga. Ao longo das épocas tem melhorado muito as suas infraestruturas, mas esta época perdeu os seus melhores jogadores e Ruben Micael não foi suficiente.

O V. Setúbal vai continuar a sobreviver depois do seu novo presidente ter alertado para a dependência da continuidade do clube através da permanência. Primeiro Gonçalo Paciência, agora André Pereira, o Vitória bem pode agradecer os jogadores emprestados pelo FC Porto o seu futuro.
O Feirense com a benção da psicóloga Susana Torres, lá conseguiu a permanência. Um plantel fraco, desinteressante, mas suficiente para o objetivo.
Já o Moreirense, com muitos erros defensivos, conseguiu novamente a permanência e Petit continua sem ter enfartes. O miocárdio não deve durar muito mais tempo.
Destaque ainda para as épocas tranquilas de Tondela, Boavista e Portimonense

sábado, 12 de maio de 2018

FC Porto justo campeão

O FC Porto sagrou-se campeão nacional 17/18.

Recuperando os post de antevisão da época, não erramos:

- FC Porto
Sem contratações, mas com reforços. Os reforços são os jogadores que saíram para "rodar" e que regressam mais fortes ao clube como aliás deveria sempre ocorrer. A diferença poderá ser o treinador e os regressos do regenerado Aboubakar e do mais experiente Ricardo e Hernâni. O FC Porto está mais forte e mais unido. 5 de Agosto de 2018
Esta pré época tem a singularidade de não ter apresentado nenhum reforço digno desse nome, mas também não ter vendido nenhum indiscutível.
Apenas vendeu Rúben Neves (2ª opção) e André Silva (em queda na 2ª volta), que foi substituído por Aboubakar. Ora, o FC Porto saiu mais forte nesta troca. 23 de Julho de 2018
Antevimos um FC Porto mais forte e mais unido.
O FC Porto não contratou ninguém, mas reforçou-se internamente, com Aboubakar, Ricardo Pereira e a surpresa Marega. Esta foi uma das surpresas da época. Um jogador que ninguém nada por ele (comparavam os seus pés a tijolos) e de facto nos jogos com José Peseiro não deu uma para caixa. Depois de rodar e ser bem sucedido em Guimarães, foi um dos protagonistas.

Quem assumiu papel de destaque esta época foi Herrera. Marcou o golo mais importante da época frente ao Benfica. Foi indiscutível e definitivamente impôs-se.

Por fim e não menos importante, o treinador. Sérgio Conceição foi o pilar mais importante desta conquista. Aproveitou, e bem, algum trabalho de Nuno Espírito Santo, aproveitou os melhores jogadores numa época sem contratações e soube-se impôr ao deixar Casillas no banco (mas viu que não tinha opção melhor). Um treinador com garra, fibra e que sente o clube. Isso faz toda a diferença.

E assim, não deixa de ser irónico que num ano em que não houve reforços, o clube esteve intervencionado pela UEFA pelas apostas falhadas de Lopetegui em que nada ganhou, agora seja campeão. A questão é: será que o FCP não pode ter dinheiro?

Fim da 2ª Liga 17/18

Chegou ao fim a Liga Ledman 17/18.
Subiram: Nacional e Santa Clara
Desceram: U. Madeira, Gil Vicente (promovido admnistrativamente à Liga NOS 19/20), Sporting B (vai desistir) e Real Massamá 


O Nacional manteve algumas das pedras da temporada passada e as queixas de  Rui Alves sobre a duração dos contratos dos jogadores e desadequação das receitas acabaram por ser a razão da época bem sucedida. A continuidade Ricardo Gomes, as apostas felizes na baliza (Daniel Guimarães) e no ataque (Murilo), bem como a aposta mais barata em nacionalistas madeirenses (cinco) foram as pedras-basilares. Por outro lado, apostou num treinador que tem crescido ao longo do tempo, depois de ter começado a carreira pelo telhado e de forma super-desastrada, Costinha.

O Santa Clara, à semelhança de outras equipas, começou a montar a sua equipa na temporada passada com Daniel Ramos. Com a sua promoção ao Marítimo, foi Carlos Pinto o homem para estabilidade e para o projecto. Esta época manteve o mesmo plantel da temporada passada e a subida chegou. Um plantel curto, com jogadores experientes de 2ª Liga, mas já muito rotinados ao ritmo insular. Thiago Santana foi o melhor marcador.

Leixões e Ac. Viseu aguentaram-se bem, apesar de na temporada passada estarem para descer. O Leixões teve 5 treinador, enquanto que o Viseu apostou forte na experiência.Caso mantenham o plantel, na próxima temporada estarão para subir. O mesmo se aplica ao Penafiel.
Quanto aos que descem, a do U. Madeira era esperada, dado os salários atrasados e a instabilidade em torno da equipa (não percebi porque razão Ricardo Cheu aceitou este desafio"), o Sporting B vai desistir, o Gil Vicente está a feijões e o Real acusou a inexperiência.

segunda-feira, 7 de maio de 2018

Sporting campeão de futebol feminino

Em pleno estádio de Alvalade, a equipa do Sporting sagrou-se campeã de futebol feminino.
Desfecho esperado onde apenas o Sp. Braga e o Estoril conseguiram empatar a equipa.


União Sportiva (Açores) campeão de basquetebol feminino

Numa modalidade onde apenas Benfica e Guimarães estão presentes dos clubes com mais adeptos em Portugal, o título de campeão vai para os Açores.
Chama-me a atenção o pavilhão vazio num jogo em casa.


terça-feira, 1 de maio de 2018

Sporting campeão nacional de voleibol

O Sporting, recém-chegado a abastecido nos clubes do Norte do país sagrou-se campeão nacional de voleibol.
Destaque para a presença de Miguel Maia na equipa. O veterano jogador ainda foi titular.

Liga NOS 17/18: as estrelas e revelações da época

Bruno Fernandes, médio que o Sporting foi buscar ao Sampdoria foi a maior revelação desta época na Liga NOS.

O médio criativo foi responsável por 11 golos, tendo falhado apenas um jogo e na Champions chegou também a marcar um golo. Tem apenas 23 anos e é um poço de talento.
Além da regularidade, chamou a atenção a beleza dos seus golos. Destaco este:


No entanto, houve mais jogadores que se destacaram esta época: o crescido Marega, o regressado Aboubakar e o veterano Jonas.

No Benfica, temos que destacar a aposta arriscada (mas necessária) na juventude e na formação, como o caso de Rúben Dias e de Bruno Varela. Ambos no setor defensivo, com erros naturais de evolução, que se pagam caro. A questão é: faz sentido um candidato ao título ter descurado tanto o setor defensivo. A verdade é que Rui Vitória não teve muitas opções.

No Braga, com uma grande equipa esta época, existiu outra revelação: Paulinho. Há duas épocas estava nos distritais, no ano passado no Gil Vicente e agora chega ao Braga. Teve a sorte de Abel Ferreira apostar nele e marcou 8 golos.
Nos restantes clubes, Raphinha (Guimarães), João Novais, Yuri Ribeiro, Francisco Geraldes e Pele (Rio Ave), Joel (Marítimo), Matheus Pereira (Chaves), Fabricio e Nakajima (Portimonense) são outros destaques.

sábado, 28 de abril de 2018

Faltam 3 jornadas para o fim - muitos nervos

Estamos no fim do Maio o que significa altura de decisões. Nos derradeiros jogos, vai-se decidir muita coisa: permanências, campeões e acessos à Liga dos Campeões.
O futuro vai ser decidido nestes jogos, seja de jogadores, treinadores e de credores dos aflitos.

Esta semana, o recém empossado presidente do V. Setúbal já veio alertar que a sobrevivência do Vitória depende muito da permanência na Liga NOS. Mérito para Vítor Hugo Valente que parece ter despertado o clube que andava completamente adormecido das redes sociais.

Por falar em credores, quem fez uma época atipicamente muito positiva foram dois clubes: o Tondela [finalmente aguentou um treinador a época inteira] e o Boavista.

O Boavista é daqueles clubes cuja continuidade enquanto instituição está indexada à permanência na Liga NOS. Pois bem, o Boavista fez uma época muito positiva, estando os seus credores a respirar de alívio pelo menos mais uma época.

Na luta pela descida, o Estoril, com os seus investidores fantasmas (ninguém da SAD dá a cara) está a pagar pelos sucessivos erros na construção do plantel e más escolhas do treinador. O sufoco da época passada não serviu de muito.

Atípica é também a diferença entre o 4º e o 5º classificado: 27 pontos. Isso diz bem dos desequilíbrios do futebol português: os grandes cada vez mais fortes e os pequenos cada vez mais sós.

sexta-feira, 27 de abril de 2018

Enchentes nos distritais

Impossível ficar indiferente às imagens que nos chegam de Lourosa, onde um derby concelhio levou milhares às bancadas.





Fui um dos defensores do fim da 3ª divisão, pois entendia que não acrescentava nada ao futebol português. Só dava despesa e era um degrau inútil. Penso que as vantagens são superiores às desvantagens. Nos distritais, vemos estádios cheios, com derbies e velhas rivalidades. Vemos público, vemos patrocinadores, receitas de bilheteira e o verdadeiro espectáculo do futebol.

Compare-se por exemplo as assistências do Sp. Espinho na temporada passada nos Distritais e este ano nos Distritais. No ano passado, a envolvente dos adeptos e da cidade fui muito maior. O que atrai mais espetadores ao estádio? Jogos com o Camacha, a equipa B do Marítimo, o Sousense? Ou com os rivais Lourosa, Beira Mar, Fiães, Lamas ou S. João de Ver?

Hoje discute-se a competitividade do Campeonato Nacional de Seniores. Não tenho dúvidas que nos Distritais a competição é muito maior.